GOVERNO DE MINAS DESMENTE QUE CORONEL CLÁUDIA SERÁ PUNIDA APÓS PROTESTOS EM BH

O Governo de Minas desmentiu nesta segunda-feira os boatos de que a Coronel Claúdia Romualdo, comandante do policiamento da capital, sofrerá sanções administrativas e multa após acompanhar o protesto, que reuniu cerca de oito mil pessoas no fim de semana em BH. Em nota, a assessoria de imprensa afirma que “não há qualquer fundamento nos boatos difundidos na internet” e, que a militar não receberá qualquer punição. No último sábado, milhares de pessoas fizeram uma manifestação por ruas e avenidas da Savassi e do Centro. O grupo formado por pessoas de diversos movimentos sociais protestou por diferentes causas: contra a Copa das Confederações, a violência policial em São Paulo e ainda pela revisão do aumento da passagem de ônibus na capital, que aconteceu em janeiro deste ano.

Ainda segundo o governo do estado, a coronel Cláudia agiu conforme as recomendações. “A postura da Coronel Cláudia Romualdo atendeu à orientação do Governo do Estado, repassada ao Comandante Geral da Polícia Militar, de garantir a segurança dos manifestantes, do patrimônio público e particular e da população em geral, buscando sempre solucionar pacificamente eventuais conflitos”, afirma a nota.

Logo após o protesto no sábado, uma petição na internet foi lançada dizendo que a Cel. Claúdia poderia ser responsabilizada e multada no valor de até R$ 100 mil diariamente. Na página da rede social, os organizadores ainda pediam que a coronel fosse condecorada por ter agido de forma pacífica. “Deixamos claro nosso total apoio à Coronel. Desejamos que a mesma, por respeitar a constituição federal e leis de mobilidade social, seja, ao invés de responsabilizada, condecorada por sua condução tranquila da sociedade civil organizada presente voluntariamente na construção de ações democráticas”.

A divulgação do boato ocorreu, porque na semana passada, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) proibiu manifestações no estado durante a Copa das Confederações. O pedido foi feito pelo Governo Minas Gerais logo após os policiais civis e os professores informarem que iriam fechar ruas e avenidas de acesso ao Mineirão, além de promoverem outros protestos pela cidade durante a realização da Copa das Confederações.

Newer Posts Older Posts
© Copyright Traduzido Por: Mais Template | Designed By Code Nirvana
Back To Top